Artigos

Imprimir

Quando o Amor Acontece - Epílogo

Escrito por Déia Ligado . Publicado em Quando o Amor Acontece

 Epilogo

 

Meses depois:

Elizabeth tinha acordado sentindo pequenas cólicas,

porém não comentou com ninguém, pois não queria

alarmar a família, uma vez que já tivera dois

rebates falsos.

No decorrer do dia as cólicas aumentavam, até que um

pequeno sangramento apareceu, dando sinal que o bebê

já iniciara seu trabalho.

Elizabeth informou a Ruth o que ocorria.

Enquanto Ruth pegava a bolsa da Mãe e do bebê e a

encaminhava ao carro, Lizzy ligava para Darcy o

avisando que já estava a caminho do hospital.

-Preparado pra conhecer seu filho hoje, William?

- Elizabeth!! É hoje? Já está na hora? – Darcy

falava sem parar – Fique onde está, eu vou buscá-la

imediatamente.

-William! Calma amor! Estou indo pra maternidade,

nos veremos lá. – se não fosse pelas cólicas, Lizzy

acharia essa situação hilária.

- Está doendo muito meu amor? Estou feliz por nosso

filho, mas por outro lado não gostaria de vê-la

sofrer – a voz de Darcy soava preocupada.

- Está tudo bem William, todas as mulheres que são

mães já passaram por isso, tudo vai dar certo. ´-

ela o tranqüilizava.

- Eu te amo minha Lizzy, logo estarei com você. –

prometeu ele.

-Também o amo muito William, até mais tarde. – Lizzy

desligou o telefone e se dirigiu ao carro, onde o

motorista a esperava.

Darcy tinha chegado à maternidade mais rápido do que

um foguete, conseguindo chegar até mesmo antes de

Elizabeth.

- Elizabeth, você demorou estava preocupado. Tudo

bem com vocês dois? – ele quis saber.

- Acho que não demorei nada, você é que chegou mais

rápido. Estamos ótimos William, por favor, fique

calmo. – Elizabeth notava o nervosismo de seu

marido.

Meia hora depois. Na sala de espera da maternidade,

encontravam-se: Charllote, Jane, Geogiana, Charles,

Ruth, Sra. Gardiner. A Sra Darcy ligava de dez em

dez minutos. Todos apreensivos e ansiosos para

conhecer o mais novo membro da família Darcy.

Depois de mais uma hora de trabalho de parto o bebê

nascera.

Darcy estava emocionado quando o seu

pequeno veio ao mundo aos berros, o

Doutor Collier o ergueu para que o

garotinho pudesse ser visto por

Elizabeth.

- Bom trabalho mamãe. Deixarei que

segurem o bebê só um pouquinho, e

então ele irá para o berçário. Ele

está ótimo, mas o pediatra quer

examiná-lo. Concorda, papai? – Darcy

fez que sim.

- Quando vou poder alimentá-lo?

- Depois que voltar do berçário. Ele não

demorará, logo voltará para vocês. –

informou Doutor Collier.

-William, precisa contar a novidade pro

pessoal que está esperando aí fora!-

lembrou Lizzy.

-Eu sei, mas não quero deixar você.

-Vá Darcy, enquanto termino com Elizabeth. Quando eu

tiver acabado, poderão ficar sozinhos um pouco.

Já instalada em uma suíte da maternidade, muito

confortável por sinal:

- Ele é lindo, Elizabeth! – tia Gardiner beijou o

rosto da sobrinha – Charllote, Ruth e eu pedimos pra

enfermeira trazer o pequeno até a janela. Ele e

muito, muito bonito.

-Eu trouxe um presente para o bebê – disse Jane meio

tímida.

-Jane! Muito obrigada. – Lizzy já abria o presente –

É lindo! – Jane tinha dado um macacãozinho do

ursinho POOH.

Georgiana e Charles era um contentamento só, até

pareciam que tinham acabado de terem outro bebê. Ela

e Lizzy tinham uma cumplicidade tão grande que

pareciam mais irmãs do que cunhadas.

Darcy estava pendurado no celular, contando os

detalhes do parto pra sua mãe, e Katarina, que mesmo

com toda rabugice estava ansiosa e feliz por

William.

O Doutor Collier entrou no quarto pedindo a todos

que saíssem.

-Peço a todos que me acompanhem, Darcy e Elizabeth

precisam de alguns momentos a sós, e depois

Elizabeth terá de alimentar o bebê.

Todos se despediram de Lizzy e Darcy. Quando a porta

se fechou, ele suspirou alto.

- Estou contente por Collier tê-los posto pra fora.

- Meu Deus! Mais que marido mais possessivo eu fui

arrumar. – brincou ela.

- E mais apaixonado também. –acrescentou ele.

A enfermeira abriu a porta com o pequeno nos braços.

- Pronta mamãe! Seu leãozinho está faminto.

Elizabeth admirou seu marido quando,

se aproximou para olhar de perto

fascinado o modo como o bebê se

acomodava nos braços dela,

procurando o seio faminto.

Darcy enterrou seu rosto nos cabelos

de Lizzy,

-Elizabeth, eu te amo! Obrigado, meu amor, obrigado.

Nós temos um filho. Um filho! Nosso filho!

Lizzy levantou o rosto e puxou William até seus

lábios para um beijo.

Seus olhos encontraram-se radiantes e transbordando

de amor. Sorriu, beijou-o outra vez.

- Você está bem meu amor? – William estava

preocupado ao ver o sorriso cansado de sua esposa.

- Meu Deus, nosso filho é lindo, não? - disse ele,

tocando a cabeça do bebê com a ponta dos dedos.

- Lindo como você, e tem seus olhos querido. –

Elizabeth estava encantada.

- Como vamos chamá-lo, William! Você tinha me dito

que já havia escolhido um nome. – perguntou curiosa.

- Andrew Bennet Darcy. Nosso pequeno Andrew.

- William! É o nome de meu pai!- Lizzy estava

emocionada, com a homenagem que seu marido prestara

a seu pai.

-Eu sei minha Lizzy, e sei o quanto o amou. De certa

forma sou grato a ele por ter você comigo, nada mais

que justo. Eu te amo Elizabeth Darcy.

-Eu também te amo muito William Darcy.

- Você me fez o homem mais feliz do mundo,

Elizabeth.

- Você também me fez a mulher mais feliz do mundo,

William! Da próxima vez podemos tentar uma menina?

- Mal posso esperar para começarmos Sra. Darcy –

William murmurou algumas sugestões em seu ouvido que

a fizeram corar.

“No decorrer de suas vidas, William e Elizabeth

Darcy, se irritarão um com o outro em certos

momentos, terão brigas sérias, discordarão de muitas

coisas. Porque são teimosos, obstinados e

passionais”.

Porém se amarão com paixão, se doarão com prazer, se

entregarão um ao outro sem reservas e medidas.

 

Estarão juntos nos momento bons ou ruins, nas

conquistas ou nos fracassos, se apoiarão mutuamente.

Mas nada disso os assustam, pois eles sabem que não

conseguem viver um sem o outro. Eles não conseguem

imaginar o futuro um sem o outro, nunca mais.

 

Se vocês concordarem que isso é felicidade e amor,

então eles serão felizes e se amarão para sempre”.

 

Walk To Remember - It's Gonna Be Love

Musica e Tradução do Epílogo

Walk To Remember - It's Gonna Be Love

It's gonna be me, baby!

It's gonna be you, baby!

Time I've been patient for so long...

How can I pretend to be so strong?

Looking at you, baby

Feeling it too, baby

If I'm asking you to hold me tight

Then it's gonna be all night

It's gonna be love

It's gonna be great

It's gonna be more than I can take

It's gonna be free

It's gonna be real

It's gonna change everything I feel

It's gonna be sad

It's gonna be true

It's gonna be me, baby

It's gonna be you, baby

It's gonna be

It's gonna be love

Time am I restless or a fool?

How can you pretend to be so cruel?

Maybe it's me, baby

Maybe it's true, baby

Maybe it's everything we're dreaming of

We've waited long enough

It's gonna be love

It's gonna be great

It's gonna be more than I can take

It's gonna be free

It's gonna be real

It's gonna change everything I feel

It's gonna be sad

It's gonna be true

It's gonna be all I want to do

It's gonna be me, baby (me, baby)

It's gonna be you, baby

The sooner you let two hearts beat together

The sooner you'll know this love is forever

(It's gonna be love)

Love needs time now or never

(It's gonna be love)

It's gonna be strong enough

It's gonna be love

It's gonna be great

It's gonna be more than I can take

It's gonna be free

It's gonna be real

It's gonna change everything I feel

It's gonna be sad

It's gonna be true

It's gonna be all I want to do

It's gonna be hard

It's gonna be tough

It's gonna be more than just enough

It's gonna be love

Oh, it's gonna be love

It's gonna be sad

It's gonna be true

It's gonna be me, baby (me, baby)

It's gonna be you, baby

It's gonna be me, baby (me, baby)

It's gonna be you

It's gonna be....(yeah)

It's gonna be love

Walk To Remember - It's gonna be love (tradução)

Deve ser amor

Deve ser eu, baby.

Deve ser você, baby.

O tempo tem sido muito paciente

Como eu posso fingir ser tão forte?

Olhando para você, baby...

Sentindo isso também, baby...

Se eu estou perguntando você me abraça apertado

Então deve estar tudo certo

Refrão:

Deve ser amor

Deve ser poderoso

Deve ser mais do que eu possa alcançar

Deve ser livre

Deve ser real

Deve ser tudo que muda o que sinto

Deve ser sombrio

Deve ser verdadeiro

Deve ser eu, baby

Deve ser você, baby

Deve ser...

Deve ser amor

O tempo que resta da minha grande tristeza

Como você pode fingir ser tão cruel?

Talvez seja eu, baby

Talvez seja verdade, baby

Talvez seja tudo que nós estamos sonhando

E temos esperado o suficiente

Refrão:

Deve ser amor

Deve ser poderoso

Deve ser mais do que eu possa alcançar

Deve ser livre

Deve ser real

Deve ser tudo que muda o que sinto

Deve ser sombrio

Deve ser verdadeiro

Deve ser você o único a fazer

Deve ser eu, baby

Deve ser você, baby

Deve ser amor

Quanto mais rápido você deixar dois corações baterem juntos

Mais rápido você saberá que esse amor é pra sempre

(Deve ser amor)

O amor necessita de tempo agora ou nunca

(Deve ser amor)

Deve ser forte

Você irá acreditar

Que deve ser forte o bastante

Refrão:

Deve ser amor

Deve ser poderoso

Deve ser mais do que eu possa alcançar

Deve ser livre

Deve ser real

Deve ser tudo que muda o que sinto

Deve ser sombrio

Deve ser verdadeiro

Deve ser você o único a fazer

Deve ser difícil

Deve ser forte

Deve ser mais do que o suficiente

Deve ser amor

Oh deve ser amor...

Deve ser você, baby

Deve ser eu, baby (eu, baby)

Deve ser você

Deve ser (Yeah)

Deve ser amor