Imprimir

Namoro de Férias - Cap 15

Escrito por Luciana Viter Ligado . Publicado em Namoro de Férias

Após preparar a implantação do projeto, Collins estava prestes a partir de Alta Serra e decidiu pedir Charlotte em casamento. Uma vez que o pedido foi aceito, como era de se esperar, a cerimônia foi marcada com a maior brevidade possível para que ela pudesse organizar pessoalmente as residências do casal em Alta Serra e no Rio, onde iria se radicar, a seu gosto. Naturalmente ele também ansiava por tê-la a seu lado em tempo integral. Os Bennet foram convidados para a celebração que reuniu os amigos na casa dos Lucas em cerimônia íntima.

 

Uma vez instalada em sua nova casa, uma das primeiras providências de Charlotte foi convidar a amiga para visitá-la no Rio.  Ela estava mesmo radiante. A vida era engraçada, pensou Lizzy. Não existe receita pronta para a felicidade, cada um vai buscando e encontrando seu próprio caminho.  Fora muito rápida em julgar tanto Collins como seu relacionamento com Charlotte. Ele se mostrava um homem muito carinhoso e sensível e isso era bem mais importante do que aparência ou maneiras.

 

 Então, Charlotte, como está a vida de casada?

- É maravilhoso ter minha própria casa, Lizzy. 

- Saudades de Alta Serra?

- Claro, mas vamos estar lá com mais frequência depois que as coisas se acertarem.

- Pelo visto, você tem tudo de que precisa.  Assim também vou querer me casar logo. – respondeu Elisa entre risos de ambas.

- Na verdade falta algo importante. Planejamos ter filhos assim que ele acerte sua posição na empresa.

- Não é um pouco cedo?

- Talvez para você, amiga. O meu relógio biológico já está começando a tocar.

- Bem... Só me resta esperar o convite para ser a madrinha, então.

- Pode estar certa disso. Mas quero convidar você para outra coisa antes. Venha jantar conosco sexta à noite. É a primeira vez que recebo estranhos em casa e você é minha única amiga por aqui.

- Claro que venho, Charlotte.  Quem mais estará presente?

- Catherine De Bourgh em pessoa além de outros funcionários da empresa.

- Então é um encontro de negócios.

- Praticamente. Quero criar um clima favorável para a mudança de cargo que ele vai pedir para conseguir não viajar tanto.

- Então, mãos a obra. Vamos garantir o futuro de meu afilhado ou afilhada.

 

Após trocar idéias sobre o que deveria ser servido, ambas concluíram que deveria ser uma reunião simples, mas com muita classe. Depois passaram a pensar na questão mais preocupante para quase toda mulher quando convidada para algo: o que vestir?  Acharam por bem praticar outro esporte feminino bem conhecido e sair às compras atrás de roupas novas que pudessem usar.

 

Charlotte escolheu um vestido de estampa abstrata, moderno e elegante, e convenceu Lizzy a comprar outro em tom perolado bastante decotado para seu gosto, mas como dizia a amiga, porque não aproveitar se o seu corpo permitia usá-lo?  O tecido e o corte realmente lhe caíram muito bem, pensou ao olhar-se no espelho antes de sair.  Maquiou-se cuidadosamente e levou seu kit para retocar na festa se fosse necessário.  A amiga merecia todo seu apoio.

 

***

 

Elisa chegou bem antes dos convidados para ajudar no que fosse preciso. Collins estava ao lado de Charlotte dando palpites e saudou a prima atenciosamente. Era possível ler em sua fisionomia o quanto ele estava preocupado com o sucesso deste encontro, mesmo que procurasse não demonstrar.

 

O jantar reuniu alguns poucos colegas de Collins tanto do sexo feminino como do masculino, além da poderosa Catherine De Bourgh, que foi a última a chegar em uma entrada triunfal.  Era uma mulher bonita e de traços fortes, aparentando menos do que sua idade real, qualquer que fosse ela.  Após cumprimentar a maior parte dos presentes dirigiu-se a Elisa:

 

- Então você é Elisa Bennet? Prima de Collins?

- Sim, senhora.

- Não me chame de senhora, é muito formal. Fique à vontade para me chamar de Catherine.  Soube que conheceu meu sobrinho nas férias de verão.

- Sim, eles estiveram hospedados em Alta Serra.

- Em que se ocupa, Elisa?

- Estou me graduando em Biologia com especialização na área ambiental.

-Que interessante.  No momento estamos formando uma equipe multidisciplinar para a implantação de um resort no litoral do Rio de Janeiro. Você gostaria de fazer parte dela? Seria bom para ganhar experiência.

- Claro que sim. - Esta era a oportunidade que ela estava procurando!

- Você é muito decidida para sua idade. Gostei disso. Passe amanhã no escritório e converse com Collins para combinarmos todos os detalhes. Você vai precisar ter disponibilidade para viajar.

- Estou na fase de conclusão da graduação.  Creio que não haverá problema.

- Muito bem.  Prazer em conhecê-la.

- O prazer foi meu.

 

Depois que ela se afastou para conversar com outro funcionário, Elisa pensou que ela fora muito simpática. Havia imaginado uma mulher autoritária e prepotente e ela não parecia nada disso à primeira vista, embora fosse bastante incisiva, algo natural para a função que ocupava. De qualquer modo, era uma chance profissional irrecusável e Elisa estava muito satisfeita de que ela houvesse surgido, mal podendo esperar o dia de começar.

 

O jantar pareceu ter agradado a todos e Lizzy permaneceu depois que o último convidado foi embora ajudando a arrumar as coisas.  Collins e Charlotte fizeram questão de levá-la de carro para casa.  No caminho ela comentou com ele sobre o convite de Catherine De Bourgh para estagiar na implantação do resort.  Collins felicitou-a e avisou-a de que iria se juntar a uma equipe formada que já estava trabalhando há algum tempo. E que nesse grupo encontraria um velho conhecido: Guilherme Darcy.