Imprimir

Dois Natais

Escrito por Luciana Viter Ligado . Publicado em Dois Natais

Sugestão de Trilha Sonora
{denvideo http://br.youtube.com/watch?v=m6kylBuWRVM}


Ao arrumar os enfeites de Natal e ouvir a antiga canção, Elizabeth pensou em como o tempo havia passado rápido desde o primeiro Natal que passara com Darcy.  Trabalharem juntos às vezes tornava as coisas um pouco mais difíceis, mas sabiam que poderiam contar com a compreensão um do outro quanto à irregularidade de horários que suas funções lhes exigiam.

 

Felizmente conseguiriam estar todos juntos para o Natal em casa naquele ano e fariam uma comemoração especial com toda a família.  Vinte anos de casados não eram para passar em branco.  Charles e Jane e os seus pais e irmãs e seus maridos, além de Georgiana e esposo,  haviam confirmado presença.  

 

Robert, o filho caçula, a ajudava a decorar a árvore, enquanto Richard, o mais velho, havia saído com o pai para comprarem algum último presente de Natal esquecido devido ao ritmo de trabalho dos últimos dias, agora que ele era comandante da unidade. Darcy sempre repetia esta sua provação inevitável de fim de ano.    Os dois filhos estavam crescendo, e ela achava engraçado pensar que o mais velho já namorava uma colega de escola.   

 

Contemplou a árvore agora completamente enfeitada e rapidamente as horas se passaram nos outros preparativos para a ceia, para a qual cada convidado trouxe um prato diferente.  A noite chegou e ela teve o prazer de ver todas as pessoas que mais amava reunidas à mesma mesa.   

 

- Um discurso do casal, por favor! – disse Charles brincalhão, batendo com uma colherzinha em uma taça para chamar a atenção de todos.

 

- Está bem! – Disse Darcy à contragosto devido à sua conhecida timidez. – Eu gostaria de dizer a minha amada esposa o quanto estes vinte anos foram maravilhosos!  E que eu teria vivido tudo de novo exatamente como aconteceu, se pudesse escolher... Desde o início, na primeira noite de Natal em que nos conhecemos de verdade.

 

Elizabeth trocou um olhar cúmplice com o marido.    O amor entre ela e Darcy havia sobrevivido aos bons e maus dias e eles se sabiam agora muito mais fortes do que antes. 

 

- E para registrar este momento... Quero dar-lhe um presente.  – Disse Darcy sem tirar os olhos do rosto de Lizzy e estendendo-lhe um pequeno embrulho que tirou do bolso.

 

Ela abriu e era uma linda aliança em filigranas douradas. Experimentou-a emocionada, levantando-se a seguir para falar também.

 

- Eu só vou dizer dizer três palavras: Eu te amo! – E abraçou-o, com a garganta embargada.

 

Com o incentivo dos presentes os dois se beijaram, apesar da conhecida timidez dele,  e naquele momento soou a meia-noite e os sinos tocaram em toda a Londres.  

 

E Deus lá do alto se alegrou ao contemplar o amor que ainda resistia entre muitos de seus filhos sobre a terra...